Chatô

O que é: As primeiras imagens do mitológico filme de Guilherme Fontes vêm causando alvoroço na internet desde o início da semana. Depois de vinte anos turbulentos, dívidas e dúvidas, a cinebiografia, adaptada do best-seller de Fernando Morais, deve enfim chegar às telas.

O que dá pra esperar: Não é um trailer finalizado, mas sim um apanhadão de cenas para provar que Chatô existe, com suas cenas grandiosas, figurinos e a irônica (ou apenas infeliz?) aparição de Fontes como uma espécie de Chacrinha cantando que “isso é coisa de ladrão”. Para um filme que terá de superar a desconfiança de muita gente, o vídeo não é particularmente um bom começo.

Steve Jobs

O que é:

Esqueça a apressada versão com Ashton Kutcher. O Steve Jobs de 2015 tem um time de respeito, com os premiados Danny Boyle (Trainspotting e Quem Quer Ser Um Milionário?) e Aaron Sorkin (A Rede Social) por trás das câmeras e Michael Fassbender no papel do guru da Apple.

O que dá pra esperar:

O estilo verborrágico dos roteiros de Sorkin deverá ter na voz de Jobs/Fassbender um parceiro valioso, a considerar a quantidade de frases de efeito espalhadas em apenas um minuto de teaser. A sacada do quadro que vai se fechando sobre o personagem principal aponta que Boyle deve inventar alguma firula visual para contar a história, o que é pra lá de coerente quando se fala de uma marca muito baseada em seu design.

A Colina Escarlate

O que é:

O mexicano Guillermo Del Toro volta ao terreno do terror, onde já se deu muito bem, com O Labirinto do Fauno. Desta vez parece não haver contexto político por trás, e sim uma clássica história de fantasmas e aparições sobrenaturais.

O que dá pra esperar:

Convém não duvidar da habilidade de Del Toro para criar um clima sombrio. Esse é o principal motivo para dar um voto de confiança para A Colina Escarlate, já que o trailer é bem convencional.

Manglehorn

O que é:

David Gordon Green tem só 40 anos e já acumula dez longas no currículo. Apesar de besteiras como Segurando as Pontas e Sua Alteza terem sua assinatura, Prince Avalanche e Joe foram uma guinada rumo à melancolia, sentimento dominante no trailer recheado de elogios a ele e ao protagonista, Al Pacino.

O que dá pra esperar:

Ainda que cada novo filme goste de prometer um Pacino à altura de seus dias de glória, este parece de fato ter um fundo de verdade. Solitário e meio ranzinza, num ambiente que lembra o Ricardo Darín de Um Conto Chinês, ele parece encarar uma jornada agridoce que envolve seu relacionamento com o filho e o aparecimento de uma potencial companheira, tudo envolvido numa fotografia bem interessante.

The Intern

O que é:

Enquanto Pacino ainda arrisca um papel mais profundo, o mesmo não pode ser dito de seu contemporâneo peso pesado Robert De Niro. Cada vez mais especialista em filmes-família, ele vive agora Ben, um viúvo que começa um estágio num site de moda, chefiado por Anne Hathaway. A direção é da veterana Nancy Meyers, que já abordou o tema do envelhecimento em Simplesmente Complicado e Alguém Tem que Ceder.

O que dá pra esperar:

Meyers não costuma fugir do tom leve e asséptico em sua obra, e The Intern deve seguir a mesma linha. Tem tudo para fazer um carreira segura nas bilheterias e já surge como favorito a lugar cativo na sessão da tarde pós-2020.

Comentários

comentários