A Academia Brasileira de Cinema divulgou nesta quinta os concorrentes ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, evento que chega a sua 14ª edição.

Getúlio, de João Jardim, é o campeão de indicações: são 14 no total. O Lobo Atrás da Porta, de Fernando Coimbra, teve 12. São obras que apontam em sentidos opostos. A primeira segue a fórmula quadrada das cinebiografias, já explorada à exaustão no cinema e na TV. A segunda é um suspense moderno, que explora o conflito de seus personagens sem cair no óbvio e fez bela carreira em festivais internacionais, voltando a colocar o Brasil no mapa de atenção da crítica especializada mundial.

Os dois estão no páreo para o prêmio principal, de melhor filme. A categoria ainda tem mais um representante das biografias, Tim Maia, de Mauro Lima, e outros dois que são mais semelhantes ao longa de Coimbra, Praia do Futuro, (Karim Aïnouz) e Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (Daniel Ribeiro).

A escolha do vitorioso será um bom termômetro para saber qual é o caminho que toca mais o coração dos votantes, grupo formado por membros do setor cinematográfico nacional. Também será interessante ver se a escolha baterá com a do voto popular, que pode ser feita no site oficial.

Há de se saudar ao menos a diversidade dos personagens e assuntos retratados entre os cinco filmes. Temos desde uma figura pública da política, até dois filmes que trazem homossexuais como protagonistas, passando por um longa sobre um cantor negro e outro inspirado em um crime do subúrbio carioca. Mostra um cinema capaz de dialogar com todas as classes e gêneros, ainda que boa parte do público ainda não tome conhecimento do que está sendo produzido. É um trabalho para décadas, afinal, mas vem sendo feito.

Por outro lado, chama atenção a quantidade de profissionais que concorrem mais de uma vez na mesma categoria. São os casos de Cauã Raymond (ator coadjuvante), Daniel Flaksman e Tiago Marques (que juntos preenchem quatro das cinco vagas de direção de arte), Auri Mota e Martín Macias Trujillo (estão em quatro dos seis nomeados a melhor maquiagem).

A festa de entrega do troféu Macunaíma ocorre dia 1º de setembro Centro Cultura Luiz Severiano Ribeiro – Cine Odeon, no Rio de Janeiro. A cerimônia ainda fará homenagem a Roberto Farias, diretor de filmes como Assalto ao Trem Pagador (1962) e Pra Frente, Brasil (1982), hoje presidente da própria Academia Brasileira de Cinema.

Veja a lista completa de indicados:

Melhor longa-metragem de ficção
Getúlio, de João Jardim
Hoje eu quero voltar sozinho, de Daniel Ribeiro
O lobo atrás da porta, de Fernando Coimbra
Praia do futuro, de Karim Aïnouz
Tim Maia, de Mauro Lima

Melhor longa-metragem documentário
A farra do circo, de de Roberto Berliner e Pedro Bronz
Brincante, de Walter Carvalho
Dominguinhos, de Eduardo Nazarian
Olho nu, de Joel Pizzini
Tim Lopes – História de Arcanjo, de Guilherme Azevedo

Melhor direção
Carolina Jabor, por Boa sorte
Fernando Coimbra, por O lobo atrás da porta
João Jardim, por Getúlio
Karim Aïnouz, por Praia do futuro
Daniel Ribeiro, por Hoje eu quero voltar sozinho

Melhor atriz
Bianca Comparato, por Irmã Dulce
Deborah Secco, por Boa sorte
Drica Moraes, por Getúlio
Fabiula Nascimento, por O lobo atrás da porta
Leandra Leal, por O lobo atrás da porta

Melhor ator
Alexandre Borges, por Getúlio
Babu Santana, por Tim Maia
Matheus Nachtergaele, por Trinta
Milhem Cortaz, por O lobo atrás da porta
Tony Ramos, por Getúlio

Melhor atriz coadjuvante
Alice Braga, por Os amigos
Fabíula Nascimento, por Não pare na pista: A melhor história de Paulo Coelho
Gloria Pires, por Irmã Dulce
Thalita Carauta, por O lobo atrás da porta
Zezé Polessa, por Irmã Dulce

Melhor ator coadjuvante
Adriano Garib, por Getúlio
Antônio Fagundes, por Alemão
Babu Santana, por Julio sumiu
Cauã Reymond, por Tim Maia
Cauã Reymond, por Alemão
Jesuíta Barbosa, por Praia do futuro
José Wilker, por Isolados

Melhor direção de fotografia
Adriano Goldman, por Trash – A esperança vem do lixo
Ali Olcay Gözkaya, por Praia do Futuro
Gustavo Hadba, por Irmã Dulce
Lula Carvalho, por O lobo atrás da porta
Walter Carvalho, por Getúlio

Melhor direção de arte
Claudio Amaral Peixoto, por Tim Maia
Daniel Flaksman, por Irmã Dulce
Daniel Flaksman, por Trinta
Tiago Marques, por Getúlio
Tiago Marques, por O lobo atrás da porta

Melhor figurino
Camila Soares, por Praia do Futuro
Cirks Kangussu, por Irmã Dulce
Kika Lopes, por Trinta
Marcelo Pies, por Getúlio
Reka Koves, por Tim Maia

Melhor maquiagem
André Anastácio, por Alemão
Auri Mota, David Martí, Montse Ribé e Stephen Murphy, por O lobo atrás da porta
Auri Mota, por Irmã Dulce
Lucila Robirosa, por Tim Maia
Martín Macias Trujillo, por Boa sorte
Martín Macias Trujillo, por Getúlio

Melhor efeito visual
Adam Rowland, por Trash – A esperança vem do lixo
Claudio Peralta, por Rio, eu te amo
Guilherme Ramalho, por Tim Maia
Robson Sartori por Irmã Dulce
Sérgio Farjalla e Robson Sartori, por Alemão

Melhor roteiro original
Alê Abreu, por O menino e o mundo
Anna Muylaert e L. G. Bayão, por Irmã Dulce
Daniel Ribeiro, por Hoje eu quero voltar sozinho
Fernando Coimbra, por O lobo atrás da porta
George Moura, por Getúlio

Melhor roteiro adaptado
Cristiano Abud, André Carreira e Guilherme Fiúza, por O menino no espelho
Jorge Furtado e Pedro Furtado, por Boa sorte
Matheus Souza, por Confissões de adolescente
Mauro Lima e Antonia Pellegrino, por Tim Maia
Susana Schild, por Mão na luva

Melhor montagem em ficção
Cristian Chinen, por Hoje eu quero voltar sozinho
Isabela Monteiro de Castro, por Praia do futuro
Joana Ventura e Pedro Bronz, por Getúlio
Karen Akerman, por O lobo atrás da porta
Sergio Mekler, por Boa sorte

Melhor montagem em documentário
Giba Assis Brasil, por O mercado de notícias
Joana Collier, por Tim Lopes – História de Arcanjo
Joaquim Castro, por Dominguinhos
Pablo Ribeiro, por Brincante
Pedro Bronz, por A farra do circo

Melhor som
Danilo Carvalho, Dirk Homann, Waldir Xavier, e Matthias Schwab, por Praia do Futuro
Felipe Shultz Mussel, Alessandro Laroca, Armando Torres Jr. e Eduardo Virmond Lima, por Alemão
George Saldanha, François Wolf e Armando Torres Jr., por Tim Maia
Pedro Melo, Alessandro Larona e Branko Neskov, por Getúlio
Vamprio e Ricardo Cutz, por O lobo atrás da porta

Melhor trilha sonora
André Moraes, por Copa de elite
Berna Ceppas e Mauro Lima, por Tim Maia
Lina Chamie, por Os amigos
Mariana Aydar, Eduardo Nazarian e Duani Martins, por Dominguinhos
Roberto Berliner e Pedro Bronz, por A farra do circo

Melhor trilha sonora original
André Abujamra, por Trinta
Antonio Nóbrega, por Brincante
Antônio Pinto, por Trash – A esperança vem do lixo
Fabiano Krieger e Lucas Marcier, por Irmã Dulce
Federico Jusid, por Getúlio

Melhor longa-metragem de comédia
Confissões de adolescente, de Daniel Filho e Cris D’amato
O candidato honesto, de Roberto Santucci
Os homens são de Marte… É pra lá que eu vou, de Marcus Baldini
Julio sumiu, de Roberto Berliner
S.O.S. Mulheres ao mar, de Cris D’Amato

Melhor longa-metragem de animação
As aventuras do avião vermelho, de Frederico Pinto e José Maia
O menino e o mundo, de Alê Abreu

Melhor longa-metragem infantil
As aventuras do avião vermelho, de Frederico Pinto e José Maia
O menino e o mundo, de Alê Abreu
O menino no espelho, de Guilherme Fiúza Zenha
O segredo dos diamantes, de Helvécio Ratton
Os caras de pau em o misterioso roubo do anel, de Felipe Joffily

Melhor curta-metragem de ficção
A era de ouro, de Leonardo Mouramateus e Miguel Antunes Ramos
Nua por dentro do couro, de Lucas Sá
O caminhão do meu pai, de Maurício Osaki
O filme de Carlinhos, de Henrique Filho
Voltando pra casa, de Thiago Kistenmaker

Melhor curta-metragem documentário
Do petróleo e do cinema, de Artêmio Macedo
Efeito Casimiro, de Clarice Saliby
O canto da Lona, de Thiago Mendonça
Se essa lua fosse minha, de Larissa Lewandoski
Sioma, o papel da fotografia, de Eneida Serrano e Karine Emerich

Melhor curta-metragem de animação
A pequena vendedora de fósforo, de Kyoko Yamashita
Edifício Tatuapé Mahal, de Carolina Markowicz e Fernanda Salloum
Guida, de Rosana Urbes
Miroca e seu cuco caduco, de Diego Lopes
Viagem na chuva, de Wesley Rodrigues

Melhor longa-metragem estrangeiro
Boyhood: Da infância à juventude, de Richard Linklater
Clube de compras Dallas, de Jean-Marc Vallée
O Grande Hotel Budapeste, de Wes Anderson
O lobo de Wall Street, de Martin Scorsese
Relatos selvagens, de Damián Szifron

Comentários

comentários