São proibidos truques fotográficos. Inaceitáveis os filmes de gênero, ou de época. A câmera deve ser usada na mão. A música não pode ser utilizada a menos que ressoe no local onde se filma a cena.

Estas eram cinco das dez regras que compunham o manifesto escrito pelos cineastas dinamarqueses Lars Von Trier e Thomas Vinterberg. Em 1995, os dois apresentaram ao mundo o Dogma 95, criado como opção para os formatos de produção e de linguagem dominantes. Era a defesa de um cinema mais realista e menos comercial.

“Quando a gente olha para trás e tenta entender o que aquilo representou, foi uma espécie de virada no que diz respeito ao uso da tecnologia digital. Ele legitimou isso”, considera Júlio Bezerra, curador da Mostra que celebra os 20 anos do movimento.

Depois de passagens por Rio de Janeiro e Brasília, o evento chega a São Paulo, onde exibe 16 longas de diferentes diretores, até 14 de setembro, no Centro Cultural Banco do Brasil.

“Até aquele momento o digital ainda era uma coisa vista como amadora. Quando surgem os dois primeiros filmes do Dogma, Os Idiotas e Festa de Família, com imagens cheias de pixels, e são exibidos no maior festival do mundo, em Cannes, isso representa um grande marco”.

Não demorou muito para surgirem seguidores, além das fronteiras escandinavas. A mostra é uma chance para conhecer outros autores, que seguiram a cartilha e se arriscaram também em gêneros como a comédia, ou o falso documentário, e não tiveram o mesmo cartaz que os fundadores.

O argentino Fuckland (2000), de José Luis Maques, tem como figura central o personagem Fábian, um mágico que arma um plano para recuperar o território das Ilhas Malvinas, povoando-as de crianças portenhas. Para isso, precisa engravidar uma moradora de lá.

Hotel (2001), um dos filmes menos conhecidos de Mike Figgis (famoso por Despedida em Las Vegas e Timecode) acompanha uma equipe de produção que vira tema de um estranho documentário. Salma Hayek, Burt Reynolds e Lucy Liu estão no elenco.

Enquanto outros experimentavam com o formato, o próprio Trier contrariou suas regras em seu filme seguinte, o musical Dançando no Escuro, em 2000. Vinterberg também, quando lançou, em 2003, Dogma do Amor (péssima versão brasileira para o título original, It’s All About Love), uma ficção científica estrelada por Joaquin Phoenix, Claire Dannes e Sean Penn, massacrada pela crítica na época. Pouco importava. O objetivo de chamar atenção para eles próprios já havia sido cumprido.

“O movimento tem um aspecto publicitário. O Lars Von Trier depois do Dogma vai se tornar um grande promovedor dos seus filmes. Cada vez que lança um, tem sempre um polêmica. Tudo isso é muito pensado da parte dele”, reconhece Bezerra.

“A gente percebe que havia um tom de brincadeira e provocação no Dogma, mas também era uma forma de contestar a hegemonia de Hollywood, num momento em que os blockbusters começavam a invadir as telas do mundo todo e nenhuma outra alternativa parecia viável comercialmente. Era a oposição a um cinema que consideravam artificial”.

'Festa de Família', filme que marcou o início do movimento
‘Festa de Família’, filme que marcou o início do movimento

Conheça abaixo a programação da Mostra Dogma 95 em São Paulo:

Domingo, 06 de setembro
16h – O Rei está Vivo (The King is Alive / DVD / 109 min / 2000 / 16 anos)
18h30 – Julien Donkey Boy (DVD / 100 min / 1999 / 16 anos)

Segunda, 07 de setembro
15h – Kiara’s Reason – A Love Story (En Kaerlighedshitorie / DVD / 93 min / 2001 / 16 anos)
17h – Brothers (Brodre / 35mm / 117 min / 2004 / 16 anos)
19h30 – Lovers (35mm / 100 min / 1999 / 16 anos)

2° Semana

Quarta, 09 de setembro
10h – Sessão especial e gratuita de Os Idiotas para universitários + Bate Papo *
*Os universitários interessados nessa sessão deverão enviar um e-mail com o nome completo para [email protected] e aguardar confirmação.
Os participantes receberão um certificado e um catálogo.

15h30 – Italiano para Principiantes (Italian for Beginners / DVD / 89 min / 2000 / 16 anos)
17h30 – Fuckland (DVD / 87 min / 2000 / 16 anos)
19h30 – Festa de Família (Festen / DVD / 105 min / 1998 / 16 anos)

Quinta, 10 de setembro
15h30 – Kiara’s Reason – A Love Story (En Kaerlighedshitorie / DVD / 93 min / 2001 / 16 anos)
17h30 – Mifune (DVD / 98 min / 1999 / 16 anos)
19h30 – A Caça (Jagten / 35mm / 115 min / 2012 / 16 anos)

Sexta, 11 de setembro
15h – Dogma do Amor (It’s All About Love / DVD / 104 min / 2003 / 16 anos)
17h – Hotel (DVD / 114 min / 2001 / 16 anos)
19h15 – Dançando no Escuro (Dancer in the Dark / 35mm / 140 min / 2000 / 16 anos)

Sábado, 12 de setembro
15h – Italiano para Principiantes (Italian for Beginners / DVD / 89 min / 2000 / 16 anos)
17h – A Caça (Jagten / 35 mm / 115 min / 2012 / 16 anos)
19h30 – Os Idiotas (Idotern / DVD / 117 min / 1998 / 16 anos)

Domingo, 13 de setembro
14h – Dogma do Amor (It’s All About Love / DVD / 104 min / 2003 / 16 anos)
16h30 – Lovers (35mm / 100 min / 1999 / 16 anos)
18h30 – Festa de Família (Festen / DVD / 105 min / 1998 / 16 anos)

Segunda, 14 de setembro
14h30 – Fuckland (DVD /87 min / 2000 / 16 anos)
16h30 – Hotel (DVD / 114 min / 2001 / 16 anos)
19h – Dançando no Escuro (Dancer in the Dark / 35mm / 140 min / 2000 / 16 anos)

Comentários

comentários