selomostra39Paulo Miklos vive o sambista Adoniran Barbosa no curta-metragem Dá Liçenca de Contar, de Pedro Serrano, incluído na programação da Mostra na categoria “apresentação especial”, sempre abrindo a sessão que é seguida pelo documentário experimental Coração de Cachorro, da artista visual norte-americana Laurie Anderson.

É uma junção à primeira vista estranha, mas serve para a Mostra reparar uma saia justa acontecida em agosto, quando o filme ficou de fora do Kinoforum, o maior e mais tradicional festival de curtas da cidade de São Paulo, morada de Adoniram e, consequentemente homenageada também por este pequeno e divertido conto, de 17 minutos. Foi uma decisão contestada por muita gente, que ganhou força quando o filme saiu premiado em Gramado.

DÁ LICENÇA DE CONTAR

Quinta, 22/10 – 21h no MIS | Sexta, 23/10 – 23h no CineSesc | Segunda, 26/10 – 18h na CineSala | Quarta, 04/11 – 20h no SESC Belenzinho

O tempo todo, o filme tenta usar versos icônicos do seu protagonista, especialmente os que estão em Saudosa Maloca, Trem das Onze, Samba do Ernesto e As Mariposas. É como se o curta propusesse um ‘caça-palavras’ sonoro para o público. A brincadeira agrada a quem conhece as canções, mas talvez não faça muito sentido aos mais desavisados que, por alguma infelicidade, pouco sabem sobre Adoniran.

O curta pesa tanto a mão que até o “nós viemos aqui pra beber ou pra conversar?”, imortalizado em um comercial da cerveja Antártica acabou entrando, servindo de argumento para os que consideram o tom do filme muito publicitário.

Além de Miklos, cada vez mais à vontade em sua carreira de ator, o elenco tem caras conhecidas como Gustavo Machado, Gero Camilo e Aisha Jambo. A voz de Ney Matogrosso surge em cena cantando Iracema, numa das cenas mais bonitas do curta.

Tudo funciona bem como um teaser, e parece ter sido essa mesmo a intenção. Serrano, que dirigiu o documentário Luto em Luta, de 2012, já tem o roteiro pronto e pretende agora transformar Dá Licença de Contar em longa-metragem. Quem sabe para voltar à Mostra numa próxima edição.

Comentários

comentários