Entre 25 e 31 de agosto, as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Curitiba e Florianópolis recebem a edição 2016 da 8½ – Festa do Cinema Italiano no Brasil. O conceito é simples: sete filmes em sete capitais nacionais durante sete dias. Tudo para apresentar ao público alguns dos melhores longas recentes da terra que já nos trouxe Federico Fellini, Ettore Scola e tantos outros mestres da sétima arte.

Loucas de Alegria, novo de Paolo Virzi recém-exibido em Cannes, é o filme de abertura e também uma espécie de carro chefe da seleção. É possível encontrar nele traços característicos que vem à cabeça quando pensamos na cultura italiana: a sensibilidade exacerbada, nervos à flor da pele e personagens sanguíneos. Tudo envolto numa fotografia calorosa, que tira proveito tanto dos cenários como da energia das duas protagonistas.

Estas protagonistas são Beatrice (Valeria Bruni Tedeschi) e Donatella (Micaela Ramazzotti), que se encontram numa clínica psiquiátrica após cometerem delitos. A primeira é enxerida e se recusa a aceitar sua nova realidade, enquanto a segunda é mais passiva e convive com um avançado estado de depressão. Ambas acabam por se complementar, e é daí que surge a relação que move o filme.

Aproveitando uma brecha numa das atividades externas, a dupla consegue fugir do local e parte numa viagem que vai remexer o passado, desenterrar traumas que não necessariamente serão resolvidos. Loucas de Alegria vira um road movie propositadamente torto, sem destino definido, mas com uma jornada para lá de emocionante.

Virzi abre espaço para suas duas atrizes brilharem em cena, ambas com personagens complexos que são construídas de maneira muito profunda. Fica claro o respeito do filme em lidar com a questão da saúde mental, reforçado nos letreiros do final, que apontam como o assunto continua sendo tratado como um tabu na Itália.

A comédia dramática tem exibição nos dias 25 (quinta) às 21h30 e 29 (segunda) às 19h, antes de estrear comercialmente no circuito brasileiro, em setembro.

Conheça abaixo os outros filmes da 8½ – Festa do Cinema Italiano

Paro Quando Quero

Nesta espécie de ‘Breaking Bad à italiana’, um grupo de professores devastados pela crise financeira italiana decide produzir e vender sua própria “smart drug”, uma droga não proibida pelas autoridades. Claro que não demora muito para as coisas fugirem ao controle, em ritmo de comédia.
Exibições: Quinta (25) às 19h e Domingo (28) às 21h30

Não Seja Mau

Indicado pela Itália para tentar uma vaga no Oscar 2016, foi o último trabalho do diretor Claudio Caligari, falecido em maio do ano passado. Sua morte antes de terminar a edição do filme gerou uma comoção na Itália, com direito a uma carta aberta à Martin Scorsese pedindo ajuda do cineasta norte-americano para a conclusão. Scorsese nunca respondeu ao apelo publicamente, mas dá para supor que teria apreço por esta história trágica, turbulenta e repleta de violência em que dois amigos embarcam.
Exibições: Sexta (26) às 19h e Segunda (29) às 21h30

Meu Nome é Jegg Robot

Esta edição da Festa do Cinema Italiano dá a oportunidade ao público brasileiro de conhecer uma das revelações do cinema da Itália recente, o ator Luca Marinelli. Ele faz um dos protagonistas de Não Seja Mau e rouba a cena como o vilão deste que é um dos títulos mais inusitados da seleção, sobre um cidadão comum que ganha uma força descomunal depois de entrar em contato com uma substância tóxica. Um filme de herói como certamente você nunca viu.
Exibições: Sábado (27) às 19h e Terça (30) às 21h30

As Confissões

Uma reunião do G8 ocorre num local isolado da Europa, para decidir o futuro da economia mundial. Entre os líderes das nações e uma dupla de artistas convidados para dar um ar de leveza ao evento, há também um monge (interpretado pelo grande Toni Servillo). Um acontecimento trágico faz com que justamente o religioso se torne o centro das atenções, num interessantíssimo debate sobre fé, pragmatismo e política que começa a ganhar forma.
Exibições: Sexta (26) às 21h30 e Terça (30) às 19h

Amor Eterno

O veterano Giuseppe Tornatore (de Cinema Paradiso) está de volta, com o drama romântico de um astrofísico experiente (Jeremy Irons) e uma estudante (Olga Kurylenko), que têm a relação interrompida misteriosamente até que mensagens deixadas pelo sujeito começam a aparecer na vida da mulher.
Exibições: Sábado (27) às 21h30 e Quarta (31) às 19h

As Consequências do Amor

O evento ainda traz pela primeira vez aos cinemas brasileiros o segundo longa dirigido por Paolo Sorrentino, de 2004, antes dos mais conhecidos Il Divo e A Grande Beleza, pelo qual levou o Oscar de filme estrangeiro em 2014. Aqui, um homem recluso (Toni Servillo, que voltaria a trabalhar com o diretor nos outros dois filmes) vê segredos do passado serem revelados a partir do momento em que conhece uma atraente bartender.
Exibições: Domingo (28) às 19h e Quarta (31) às 21h30

Todas as sessões do festival ocorrem nos mesmos horários nas cidades participantes. Veja abaixo os locais de exibição em cada capital:

Brasília – Espaço Itaú de Cinema Shopping Casa Park
Belo Horizonte – Cinema Belas Artes
Curitiba – Espaço Itaú de Cinema Shopping Crystal Plaza
Florianópolis – Cinespaço Beiramar
Porto Alegre – Espaço Itaú de Cinema Shopping Bourbon Country
Rio de Janeiro – Espaço Itaú de Cinema Botafogo
São Paulo – Espaço Itaú de Cinema Shopping Frei Caneca

Comentários

comentários