Homens de quase quarenta anos que ainda preferem viver em uma espécie de Terra do Nunca, com dificuldades para lidar com questões sentimentais de forma madura e presos numa eterna rotina adolescente. A descrição cabe em quase toda uma geração, mas em La Vingança ela é personificada nas figuras de Caco (Felipe Rocha) e Vadão (Daniel Furlan), personagens centrais do road movie que usa a rivalidade entre Brasil e Argentina como pano de fundo para ilustrar este desnorteamento masculino em pleno século XXI.

Os dois amigos perambulam de São Paulo até Buenos Aires num carro velho, o simpático Jorge, depois que Caco flagra a namorada Julia (Leandro Leal) com o amante, um famoso chef de cozinha argentino. A intenção é conhecer e levar para a cama o maior número possível de garotas portenhas pelo caminho. Mas a missão se torna cada vez mais difícil, graças ao comportamento patético dos protagonistas.

A escolha por fazer graça com estes homens que ainda acham que são dádivas divinas para o mundo e, mais especificamente, para as mulheres, foi uma decisão consciente dos diretores Fernando Fraiha e Jiddu Pinheiro, também roteiristas do filme.

No vídeo abaixo, Fraiha, Pinheiro e o elenco de La Vingança falam ao TelaTela sobre esta opção, além da necessidade de reinventar fórmulas para evitar cair num tipo de humor que “já perdeu a graça”. Assista:

Comentários

comentários