Filmes provocativos que não titubeiam ao lidar com temas tabu e controvérsia sempre foram a marca do Festival Mix Brasil, que começa mais uma edição em São Paulo. Entre 140 filmes e 27 países, há dez longas brasileiros em competição para observar de perto.

Também não faltam opções desafiadoras entre os selecionados, muitos com passagem por Berlim, Locarno, Frameline e Toronto. confira nossa seleção:

Te Prometo Anarquia

teprometoanarquia

O longa de Julio Hernández Cordón abre o festival com a presença do ator Diego Calva Hernández em sessão para convidados. Depois de ser exibido nos festivais de Locarno e Toronto, foi premiado no Festival do Rio. Dois jovens skatistas, um de classe média, outro de origem mais humilde, se encontram, se apaixonam e começam a namorar. Mas, para conseguir sobreviver, têm de vender o próprio sangue a clínicas clandestinas que servem à máfia.

Dia 12, às 22h, no Espaço Itaú Augusta | Dia 22, às 20h, no Centro Cultural São Paulo

Nasty Baby

Nasty Baby

O diretor venceu o Prêmio Teddy em Berlim em 2015 com este longa. Ele vive Freddy, um artista plástico que deseja obsessivamente ter um filho com seu companheiro, Mo. Os dois pedem ajuda a Polly, interpretada por Kristen Wiig (Saturday Night Live|Operação Madrinha de Casamento), mas acabam em uma situação extrema.

Dia 13, às 22h, no Espaço Itaú Augusta | Dia 18, às 21h, no CineSesc

Como Vencer no Jogo (Sempre)

tailandes

O candidato da Tailândia para tentar uma vaga no Oscar de Filme Estrangeiro nos apresenta um jovem que, na manhã do sorteio militar, lembra suas vivências familiares e contempla o fato de que a família de seu namorado rico pode tirar o filho dessa situação. Ele tenta, então, resolver o caso por conta própria, o que tem resultados imprevisíveis.

Dia 13, às 20h, no Espaço Itaú Augusta | Dia 16, às 17h, no CineSesc

Amor Eterno

amor-eterno

O inventivo thriller de Marçal Forés apresenta um bosque onde Carlos e outras pessoas vão em busca de experiências sexuais. Ali ele encontra um de seus alunos, Toni, que não se enquadra naquele ou em qualquer outro grupo. Depois que os dois têm um encontro frugal, Carlos tem dificuldades em se afastar.

Dia 14, às 18h, no Espaço Itaú Augusta | Dia 19, às 20h, no Centro Cultural São Paulo

Margarita com Canudinho

margarita

A protagonista deste corajoso longa é Laila, uma jovem com paralisia cerebral que, em uma cadeira de rodas, experiencia uma verdadeira jornada de descoberta sexual depois que se muda da Índia para Nova York para estudar.

Dia 13, às 19h, no CineSesc | Dia 18, às 17h, no CineSesc

Histórias de Nossas Vidas

quenia

O longa queniano venceu o prêmio especial do júri do Teddy no último festival de Berlim com um retrato da extrema homofobia que hoje domina o país. O coletivo The Nest viajou o país coletando histórias de jovens LGBT e desenvolveu cinco tramas sobre identidade, heteronormatividade e aceitação que dão voz a jovens marginalizados.

Dia 14, às 18h, no Centro Cultural São Paulo | Dia 20, às 16h, no Centro Cultural São Paulo

Grisalhos

grisalhos

Um arquiteto de 35 anos tem tudo o que, supostamente, alguém em sua posição pode desejar: casamento, filho, casa, carro. Mas há uma insatisfação perene que desperta quando ele conhece Fer, o jovem guia turístico com quem começa a trabalhar para um projeto arquitetônico no coração de Santiago.

Dia 15, às 21h, no CineSesc | Dia 18, às 16h, no Espaço Itaú Augusta 

Filmes brasileiros em competição

A Paixão de JL

Documentarista premiado por filmes como Homem Comum e Eduardo Coutinho – 7 de Outubro, Carlos Nader acompanha aqui os relatos do artista José Leonilson, que durante a década de 1990 gravou um diário íntimo em fita cassete sobre os acontecimentos da época, como a queda do Muro de Berlim e a Era Collor. Quando o personagem descobre ser portador do vírus HIV, o tom das gravações muda bruscamente.

Dia 13, às 20h, no Centro Cultural São Paulo

A Seita

A irreverente ficção científica de André Antonio se passa em 2040, ano em que o protagonista deixa as Colônias Espaciais e volta à sua terra natal, no Recife, onde conhece uma inusitada seita.

Dia 16, às 16h, no Espaço Itaú Augusta | Dia 17, às 16h no Centro Cultural São Paulo

Âncora do Marujo

O documentário de Victor Nascimento tem como cenário o último reduto de transformistas da cidade de Salvador. Em meio ao cotidiano do centro da cidade, conhecemos os artistas que lá se apresentam, suas personagens e suas histórias. No ncora do Marujo a arte mostra seu poder transformador e homens comuns encontram um lugar onde podem sonhar.

Dia 12, às 16h30, no Centro Cultural São Paulo | Dia 19, às 16h30 no Centro Cultural São Paulo

Califórnia

Premiado no Festival do Rio e na Mostra de São Paulo, o primeiro longa ficcional de Marina Person também passa pelo Mix Brasil antes de sua estreia no circuito, marcada para 3 de dezembro. Situada na década de 80, a trama acompanha a adolescente Estela, cujo sonho de visitar a Califórnia com o tio sofre uma reviravolta inesperada.

Dia 13, às 21h, no CineSesc

O Animal Sonhado

Em seis segmentos, cada um dirigido por um cineasta diferente (Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima, Victor Costa Lopes), o filme cearense investiga as diferentes manifestações do desejo. Exibido na Mostra de Tiradentes deste ano.

Dia 12, às 18h, no Centro Cultural São Paulo | Dia 18, às 20h, no Centro Cultural São Paulo

Quase Samba

Depois de estrear em circuito e passar por uma itinerância em várias cidades do Brasil, o filme de Ricardo Targino volta à São Paulo no Festival. No último mês de gravidez, uma cantora de rádio se vê dividida entre dois homens que acreditam ser o pai da criança. Um particular duelo de homens: um miliciano, um hacker e ainda Shirley, o fiel escudeiro da cantora, um cross-dresser que com ela já cria seu primeiro filho.

Dia 17, às 14h45, no CineSesc | Dia 18, às 16h30, no Centro Cultural São Paulo

Ralé

No filme dentro do filme, jovens diretores filmam em meio a uma fazenda numa região paradisíaca. Barão, personagem de Ney Matogrosso, vive nesta fazenda onde irá celebrar seu casamento com o dançarino Marcelo. O longa de Helena Ignez, exibido no Festival do Rio e na Mostra de São Paulo investiga poeticamente a alma brasileira, refletindo a respeito de questões existenciais, o direito à liberdade e individualidade sexual.

Dia 12, às 19h, no CineSesc | Dia 18, às 16h no Centro Cultural São Paulo

TupiniQueens

O documentário de João Monteiro mostra a transformação do status marginalizado ao mainstream das drag queens e conta com depoimentos e apresentações de artistas nacionais e ex-participantes do Rupaul’s Drag Race. Mais que personagens do entretenimento da noite, as drag queens Amanda Sparks, Gloria Groove, Ikaro Kadoshi, Lorelay Fox, Malonna, Marcia Pantera, Penelopy Jean, Samantha Banks e Tiffany Bradshaw demonstram que a pluralidade da arte não tem limites.

Dia 14, às 19h, no CineSesc | Dia 19, às 18h30 no Centro Cultural São Paulo

Vozeria

Amara Moira, Amelinha Teles, Dário Neto, João W. Nery, Laerte Coutinho, Luana Hansen, Luís Arruda e Majú Giorgi são os entrevistados do filme de Raphaela Comisso, que refletem sobre questões de gênero e sexualidade, debatendo os papéis que a linguagem assume na produção e manutenção de violências.

Dia 14, às 17h, no CineSesc | Dia 19, às 20h, no Centro Cultural São Paulo

Yorimatã

Premiado no Festival In-Edit, dedicado aos documentários musicais, o filme de Rafael Saar relembra a história de Luhli e Lucina, duas mulheres em meio ao movimento hippie dos anos 70 que se uniram pelo sonho de liberdade. Isoladas em uma comunidade alternativa, se tornam pioneiras no cenário independente brasileiro. Com cerca de 800 composições, do violão aos tambores artesanais que constroem e tocam, dizem não às gravadoras e mergulham na umbanda e na criação artística.

Dia 15, às 16h, no Centro Cultural São Paulo | Dia 16, às 14h45, no CineSesc

Comentários

comentários