Em 2016, a grande comoção mundial do Oscar era a expectativa pela primeira estatueta da carreira de Leonardo DiCaprio. A torcida pelo astro de O Regresso, então em sua quinta indicação (fora as vezes em que foi ignorado injustamente segundo seus fãs), rendeu piadas, memes e ajudou a manter a cerimônia da Academia como assunto recorrente em mesas de bar, escritórios e encontros familiares.

Se DiCaprio finalmente levou sua estatueta para casa, ainda há uma longa lista de atores cujo talento é reconhecido acima de qualquer suspeita, mas que nunca levaram o Oscar.

O versátil John Malkovich, por exemplo, de Ligações Perigosas e Império do Sol, atuou em quase 100 filmes desde os anos 80 e foi indicado apenas duas vezes, em 1985 por Um Lugar no Coração e em 1994 por Na Linha de Fogo, ambos como coadjuvantes. Gary Oldman, um dos melhores atores de sua geração, só foi lembrado pela Academia uma vez, por sua performance em O Espião que Sabia Demais, em 2012, mesmo tendo feito antes atuações memoráveis em Drácula, O Profissional e Minha Amada Imortal.

Se o ator é conhecido majoritariamente por ter origem em comédias então, a coisa é ainda mais difícil. Jim Carrey teve atuações espetaculares, reconhecidas em outros prêmios, por O Show de Truman e O Mundo de Andy, mas foi barrado das indicações ao Oscar por ambos. Bill Murray redefiniu sua carreira como herói cult em Encontros e Desencontros, mas foi derrotado por Sean Penn, de Sobre Meninos e Lobos, em 2004.

Do outro lado, há os recordistas: Jack Nicholson foi indicado 12 vezes e premiado três (Melhor é Impossível, Um Estranho no Ninho e como coadjuvante por Laços de Ternura) e Daniel Day-Lewis é o único a levar três vezes o Oscar como ator principal (Meu Pé Esquerdo, Sangue Negro e Lincoln). Este ano, Denzel Washignton pode ser o primeiro ator negro a chegar à terceira estatueta, por Um Limite Entre Nós. Ele já ganhou por Dia de Treinamento e Tempo de Glória, este como coadjuvante.

 

Comentários

comentários