Existem aquelas celebridades que parecem andar na linha tênue entre a genialidade e o patético. E existe também Shia LaBeouf, que merece uma categoria à parte. Suas peripécias podem não render reflexão artística profunda, mas geram sempre alguns segundos de espanto. E memes. Muitos memes.

Aparentemente menos interessado na categoria de ator do que na de performer, Shia vive surpreendendo o mundo do showbiz com ações inusitadas, sem se interessar se o público está realmente interessado em algo além da piada pronta.

Sua mais nova empreitada acontece a partir desta noite de terça e vai até quinta-feira, sob o título #ALLMYMOVIES. A proposta, que parece ideia de alguém que fez uma leitura superficial das obras de Marina Abramovic, é simples: ele passará esses três dias sentado num cinema de Nova York, assistindo aos 28 filmes que participou na carreira. Ininterruptamente, do mais recente ao mais antigo.

O público pode juntar-se ao artista in loco, gratuitamente, ou, é claro, acompanhar tudo pela internet, no site oficial do projeto. Uma câmera filma todas as suas reações, que logo nas primeiras horas incluíram lágrimas copiosas durante a projeção de Man Down, ficção científica que estrela e acaba de passar pelo Festival de Toronto.

A maratona deve também ser a única vez em que os dois volumes de Ninfomaníaca, de Lars Von Trier, e a trilogia Transformers dividem espaço na mesma curadoria.

shia no cinema

A guinada na carreira de Shia LaBeouf em direção à espiral de notícias bizarras associadas a seu nome começou em 2012, quando foi acusado de ter criado um curta-metragem plageando o cartunista Daniel Clowes.

Os insólitos pedidos de desculpa incluíram um avião contratado pelo ator para sobrevoar Los Angeles com uma faixa estendida onde se lia “Sinto muito, Daniel Clowes”. Detalhe importante: o desenhista não mora na cidade.

Logo depois, numa demonstração de egocentrismo que parece tomar conta de seu ser e sentindo-se incompreendido diante das críticas, mandou um outro avião para os ares, agora com outra frase na faixa: #stopcreating (pare de criar).

Alguns meses mais tarde, durante a premiere de Ninfomaníaca, cometeu seu ato mais famoso quando apareceu no tapete vermelho do Festival de Berlim com um saco na cabeça, com a mensagem “não sou mais famoso”.

Na entrevista coletiva, disse apenas uma frase, enigmática: “Quando as gaivotas seguem uma traineira, é porque pensam que sardinhas serão atiradas para o mar”. Plágio da declaração do ex-jogador de futebol francês Eric Cantona, dita quanto este agrediu um torcedor, em 1995.

Em junho deste ano, numa de suas últimas aparições públicas antes de #ALLMYMOVIES, Shia foi detido na Broadway, após interromper o musical Cabaret com xingamentos.

468102559

Comentários

comentários