De 30 de julho a 5 de agosto, São Paulo recebe a 10ª edição do Festival de Cinema Latino-Americano. São mais de cem filmes na programação, representando 17 países, todos com entrada gratuita.

Além de homenagens com direito a retrospectivas dos cineastas Lírio Ferreira e Hector Babenco, há também uma seção especialmente dedicada aos documentários musicais e outra com curtas-metragens das escolas de cinema CIBA-CILECT.

E claro, a principal mostra, a Contemporânea. São 21 títulos inéditos na cidade, alguns deles no mundo todo, outros já com passagem em diversos festivais internacionais. Destacamos 10 destes filmes como as nossas apostas:

Ato, Atalho e Vento

Marcelo Masagão (Nós Que Aqui Estamos Por Vós Esperamos) está de volta, com uma colagem de 4.891 cortes, mais de 2.223 atores, 5.041 locações em 722 cidades, propondo uma reflexão sobre a linguagem do cinema.
Quando: Segunda, 3 de agosto – 20h no Reserva Cultural

Através

Os brasileiros André Michiles, Diogo Martins e Fábio Bardella filmam de forma quase documental a história de Cinthia, uma cubana indecisa entre deixar ou não a ilha, após Raul Castro revogar a lei da ‘Carta Branca’.
Quando: Domingo, 2 de agosto – 21h30 no Cinesesc | Quarta, 5 de agosto – 16h no Cinusp Cidade Universitária

Meia Hora e as Manchetes Que Viram Manchetes

Em seu primeiro longa-metragem, o jovem Angelo Defanti aborda o curioso jornal carioca, cujas capas cheias de jargões e palavras de duplo sentido ganharam admiradores no País inteiro, muito graças a Internet.
Quando: Sábado, 1 de agosto – 19h no Memorial da América Latina

Sermão dos Peixes

Depois de trazer Hamlet para a paisagem urbana de São Paulo, Cristiano Burlan retoma seu curta-metragem O Boto e O Homem, origem deste documentário sobre uma comunidade em Laguna (SC) onde botos e pescadores trabalham juntos.
Quando: Quinta, 30 de julho – 21h30 no Cinesesc

Trago Comigo

O novo filme de Tata Amaral é uma das grandes estreias nacionais do Festival. Carlos Alberto Riccelli vive um diretor de teatro aposentado que mergulha em suas memórias da ditadura durante a montagem de seu novo espetáculo.
Quando: Sexta, 31 de julho – 21h no Memorial da América Latina

Las Insoladas

O segundo longa-metragem do argentino Gustavo Taretto (Medianeras) é centrado em um único cenário: um terraço onde seis mulheres passam um dia do verão portenho tomando sol, discutindo suas frustrações e planos para o ano novo.
Quando: Segunda, 3 de agosto – 21h30 no Cinesesc

Mar

Depois de ser exibida no Festival de Berlim, a co-produção entre Chile e Argentina dirigida por Dominga Sotomayor passa também por aqui. As férias de um casal ganham contornos cada vez menos idílicos, principalmente após a chegada da mãe do rapaz.
Quando: Segunda, 3 de agosto – 19h20 no Cinesesc | Terça, 4 de agosto – 19h no Cinusp – Cidade Universitária

O Ardor

Protagonizado por Gael García Bernal e Alice Braga, o filme do argentino Pablo Fendrik passou pelo Festival de Cannes em 2014. Narra uma história cheia de mistérios sobre uma disputa sangrenta no meio da selva.
Quando: Sábado, 1º de agosto – 21h30 no Cinesesc

Videofilia (e Outras Síndromes Virais)

O primeiro filme peruano a ganhar o prêmio máximo do Festival de Roterdã mostra uma jovem que passa um período entre drogas pesadas e encontros pela webcam. A direção é do estreante Juan Daniel F. Molero
Quando: Sexta, 31 de julho – 19h20 no Cinesesc | Segunda, 3 de agosto – 21h no Memorial da América Latina

Viva a Música

No filme do colombiano Carlos Moreno, Maria del Carmen é uma garota que deixa a casa dos pais para se entregar a todas as sensações que a cidade de Cali pode oferecer, com direito a drogas, sexo e (muita) música.
Quando: Terça, 4 de agosto – 21h30 no Cinesesc

Veja a programação completa com todos os filmes, horários e locais no site oficial do Festival.

Comentários

comentários