40 Mostra de Cinema de São PauloCinemaCinema Brasileiro

10 apostas de filmes brasileiros para a Mostra de São Paulo

selomostra39Chegou a hora de o público paulistano conhecer os filmes nacionais que já fizeram bonito em outros festivais brasileiros e mundiais.

A seção Mostra Brasil apresenta um apanhado do que melhor se produziu no nosso território, com longas de diversos gêneros e realizadores novos que se juntam a outros bem conhecidos do público, num panorama diverso que apontam para a maturidade crescente das obras feitas aqui.

Abaixo, listamos dez boas opções:

Aspirantes

Direção: Ives Rosenfeld

Junior é um jovem jogador do Bacaxa A.C., time de futebol amador da cidade de Saquarema, no Estado do Rio de Janeiro. Ele precisa lidar com a inesperada gravidez da namorada, Karine, enquanto seu melhor amigo de infância, Bento, assina um contrato com um time profissional. O filme acompanha a trajetória de Junior na medida em que seu ciúme alcança proporções perigosas.

Quando: Quinta, 29/10 – 21h50 no Cine Caixa Belas Artes

Segunda, 2/11 – 18h no Cinearte

Quarta, 4/11 – 14h no Espaço Itau de Cinema Augusta 1

Boi Neon

Direção: Gabriel Mascaro

Nos bastidores das vaquejadas, Iremar (Juliano Cazarré) e um grupo de vaqueiros preparam os bois antes de soltá-los na arena. Levando a vida na estrada, o caminhão que transporta os animais para os eventos é também a casa improvisada desses trabalhadores.

O cotidiano é intenso e visceral, mas algo inspira novas ambições em Iremar: a recente industrialização e o polo de confecção de roupas na região do semiárido nordestino. Deitado em sua rede na traseira do automóvel, sua cabeça divaga em sonhos de lantejoulas, tecidos requintados e croquis.

Vencedor do prêmio especial do júri da mostra Horizontes do Festival de Veneza e de 4 prêmios no Festival do Rio: melhor filme, roteiro, fotografia e atriz coadjuvante.

O longa desconstrói a forma como vemos o universo do Brasil profundo e os paradigmas de gêneros e papeis sociais, são fortes diante das lentes de Mascaro. Boi Neon é um filme que persiste e cresce na memória.

Quando: Quarta, 28/10 – 21h50 no Reserva Cultural 2

Domingo, 1º/11 – 18h no Cinearte 1

Quarta, 04/11 – 13h30 no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 2

Olmo e a Gaivota

Direção: Petra Costa e Lea Glob

Olmo e a Gaivota é uma travessia pelo labirinto da mente de Olivia, atriz que se prepara para encenar A Gaivota, de Tchekov. Quando a peça começa a tomar forma o que parecia ser encenação revela-se como a própria vida. Ou seria o inverso? Documentário e ficção misturam-se, no novo trabalho da diretora de Elena.

Vencedor do prêmio do Júri Jovem no Festival de Locarno e eleito melhor documentário do Festival do Rio.

Quando: Sábado, 24/10 – 19h40 no Espaço Itaú de Cinema Augusta 1

Sábado, 31/10 – 19h10 no Reserva Cultural 2

Domingo, 1º/11 – 13h30 no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 2

Marias
Marias
Direção: Joana Mariani

Registrando celebrações da Virgem Maria em Brasil, Cuba, México, Peru e Nicarágua, a diretora do documentário observa as semelhanças e as diferenças culturais, ouvindo as mulheres e suas histórias sobre vida, fé e devoção.

A diretora e produtora  Joana Mariani partiu em sua jornada pela América Latina para buscar e retratar a devoção à Maria na América Latina, mas encontrou muito mais que isso. Percorreu vários países para encontrar a força do simbolismo e do poder do feminino.

Quando: Sábado, 24/10 – 21h45 no Espaço Itaú de Cinema Augusta 1

Terça, 27/10 – 17h no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 6

Quinta, 29/10 – 15h45 no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 2

Mate-Me Por Favor
mate-me
Direção: Anita Rocha da Silveira

Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Uma onda de assassinatos invade o bairro. O que começa como uma curiosidade mórbida se apodera cada vez mais da vida dos jovens habitantes. Entre eles, Bia, uma garota de 15 anos. Após um encontro com a morte, ela fará de tudo para ter a certeza de que está viva.

O elenco feminino foi premiado na Mostra Horizontes, do Festival de Veneza, e Anita Rocha da Silveira levou o troféu de direção no Festival do Rio, que também reconheceu Valentina Herszage como melhor atriz.

Com sua direção peculiar e acertada, Anita nos faz sentir na pele que adolescer é um longo processo entre descobertas e o medo, entre sensações e pulsões, entre o excesso de companhia e a solidão.

Quando: Sábado, 24/10 – 20h45 no Reserva Cultural 2

Segunda, 26/10 – 16h no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 1

Terça, 2/11 – 17h no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 5

Nise – No Coração da Locura
nise
Direção: Roberto Berliner

Ao sair da prisão, a doutora Nise da Silveira (vivida por Glória Pires) volta aos trabalhos num hospital psiquiátrico no subúrbio do Rio de Janeiro e se recusa a empregar o novo e violento eletrochoque no tratamento dos esquizofrênicos. Ridicularizada pelos médicos, resta a ela assumir o abandonado setor de terapia ocupacional, onde daria início a uma revolução regida por tintas, cães e amor.

Narrativa clássica, que serve perfeitamente a um tema que, de tão complexo, não carece de pirotecnias. Os pacientes (ou clientes, como costumava dizer Nise) são o ponto forte do longa, que (re)descobre uma figura forte e inspiradora.

Quando: Sábado, 24/10 – 21h40 no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 1

Sábado, 31/10 – 17h45 no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 2

Terça, 3/11 – 14h na Cinesala

Para Minha Amada Morta

Direção: Aly Muritiba

Após a morte de sua mulher, Ana, Fernando se torna um homem calado e introspectivo, que cuida sozinho do filho Daniel. Todas as noites, enquanto o menino dorme, ele recorda o seu amor arrumando as coisas de Ana. Um dia, encontra uma fita VHS e, ao assisti-la, descobre que a esposa foi infiel. Fernando, então, decide ir à procura do homem que arruinou a imagem que ele tinha de sua amada morta.

Vencedor de 7 prêmios no Festival de Brasília (diretor, ator coadjuvante, atriz coadjuvante, fotografia, direção de arte e montagem pelo Júri oficial, mais o troféu de melhor filme na opinião dos críticos) e do Zenith de Prata no Festival de Montreal.

Com grande atuação de Fernando Alves Pinto, este suspense envolvente mantém a tensão ao tomar os caminhos menos óbvios do que uma simples história de vingança.

Quando: Domingo, 31/10 – 21h45 no CineSesc

Segunda, 2/11 – 19h no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 2

Quarta, 4/11 – 14h no Cinearte 1

Quase Memória

Direção: Ruy Guerra

Carlos Jovem recebe um pacote, mas o pacote parece estranho. O nó que o amarra, o cheiro, a letra no envelope: a encomenda só poderia ter sido enviada por seu pai, Ernesto, morto há anos. Um homem que sempre criou situações inusitadas. Abrir ou não essa surpreendente remessa? Enquanto se decide, Carlos Jovem conversa com Carlos Velho —ou ele mesmo, na última fase de sua vida— e reconstrói suas divertidas memórias ao lado desse pai genialmente louco.

O veterano mestre Ruy Guerra dirige Tony Ramos, João Miguel e Mariana Ximenes.

Ruy Guerra nos faz questionar se do que lembrados da memória não é, talvez, o que de fato inventamos. Ou até mesmo o que o outros inventaram de nós mesmos. Filme denso, para quem está dispostos a mergulhar no abismo. E talvez este abismo, ainda que lírico e belo, seja olhar para si mesmo. Para os fãs de Puccini, e da ópera Tosca, a pontuação de todo o filme com as árias Vissi D’arte e Lucevan le Stelle é de flutuar no cinema.

Quando: Quarta, 28/10 – 22h no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 1

Quinta, 29/10 – 15h40 no Cine Caixa Belas Artes

Sexta, 30/10 – 18h50 na Cinemateca Sala BNDES

Ralé
Rale
Direção: Helena Ignez

É um filme dentro de um filme. Jovens diretores, adolescentes prodígios, estão filmando “A Exibicionista” em meio a uma fazenda numa região paradisíaca. Barão vive nesse local, onde irá celebrar seu casamento com o dançarino Marcelo. A obra investiga a alma brasileira, colocando a Amazônia como epicentro do mundo, refletindo a respeito de questões existenciais, legitimando o direito à liberdade e individualidade sexual. Filme filosófico e musical, livremente inspirado na peça teatral Ralé, de Máximo Gorki.

Ney Matogrosso, Simone Spoladore, José Celso Martinez e Mario Bortolotto estão no elenco do longa, premiado com o Troféu Felix no Festival do Rio, que celebra o melhor filme de temática LGBT.

Quando: Domingo, 25/10 – 20h10 no Cine Caixa Belas Artes

Sexta, 30/10 – 19h no MIS

Sábado, 31/10 – 15h45 no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 5

Tudo que Aprendemos Juntos
tudo que aprendemos juntos
Direção: Sérgio Machado

Laerte (Lázaro Ramos) é um músico promissor que sofre uma crise em plena audição para uma vaga na Osesp. Ele perde a chance de trabalhar na maior orquestra sinfônica da América Latina e, frustrado, vai dar aulas na favela de Heliópolis. Na escola, cercado por pobreza e violência, redescobre a música de forma tão apaixonada que acaba por contagiar os jovens estudantes. O filme narra o início da história da Orquestra Sinfônica Heliópolis.

Narrativa clássica, roteiro trabalhado em atos que nos levam a mergulhar no universo tanto do professor virtuose frustrado e também na áspera realidade dos moradores da grande periferia paulistana. Clássico, emotivo, mas impossível não se cativar, principalmente porque Sergio Machado e equipe conseguem filmar Heliópolis com suas cores reais e não como cenários novelísticos.

Quando: Domingo, 01/11 – 21h30 no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca 3

Segunda, 2/11 – 15h45 no Cine Caixa Belas Artes

Terça, 3/11 – 20h na Sala São Paulo

Comentários

comentários